Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Leonor e o Cromossoma do Amor

Este blog serve para vos falar um pouco da nossa vida enquanto pais de uma menina muito especial, pois tem o cromossoma do amor e na realidade foi isso mesmo que ela trouxe à nossa vida: muito amor!

Este blog serve para vos falar um pouco da nossa vida enquanto pais de uma menina muito especial, pois tem o cromossoma do amor e na realidade foi isso mesmo que ela trouxe à nossa vida: muito amor!

Leonor e o Cromossoma do Amor

18
Jun20

O Tempo Não Perdoa

Neuza

Pois é, esta semana dei por mim a pensar que já vamos a meio do mês de Junho e estamos quase no aniversário da Leonor e que tenho de começar a pensar no que quero fazer para festejar o aniversário do dia mais feliz da minha vida!

Queria celebrar em grande, como fiz no ano passado, mas este ano devido ao "bicharoco" que aí anda não sei como será, nem como fazer. Temos tantas pessoas importantes, que queríamos junto de nós neste dia especial, no entanto, a minha parte racional pensa que o melhor seria não o fazer, ou pelo menos fazer de forma digital, com vídeochamadas por exemplo.

Estou mesmo sem saber o que fazer e a precisar de ideias rapidamente. Aceito sugestões.

Quero muito partilhar aqui convosco a consulta de desenvolvimento que a Leonor tinha em atraso devido aos tempos que vivemos, e à qual fomos na sexta-feira passada. Foi a primeira vez que fomos consultados pela Dra. Joana (nova médica atribuída à Leonor) e a Dra. também não conhecia a Leonor, mas como sempre a minha Pipoquinha espalhou o seu charme e fez a médica apaixonar-se por ela quase de imediato.

Como forma de a conseguir avaliar e perceber o seu desenvolvimento, a médica apresentou vários estímulos à Leonor: brinquedos, jogos, bonecos e avaliou o que ela fazia com eles e como o fazia, ou até pedia para ela executar determinada tarefa e ela assim o fazia.

Também conversou com ela para perceber como estava a minha Princesinha em termos de fala e compreensão, ainda lhe questionou as partes do corpo (que a minha filhota sabe bem ;p ).

Ela estava encantada com a Leonor, palavras dela e a princesa estava a adorar a consulta até termos chegado à hora de pesar e medir, aí tudo mudou de figura!

No fim da consulta, questionei a médica o que ela achava e a resposta que obtive foi que a minha Pipoquinha está ótima, com um desenvolvimento muito bom, igual a qualquer outra criança da idade dela. Para já. Sim, tenho a plena consciência que estamos a avaliar o momento, tudo pode mudar de um dia para o outro, mas a realidade é que não me interessam comparações. Ela está bem e a evoluir bem e esta é a informação que quero reter. Uma das terapeutas da minha pequena (neste momento ainda só tem uma das terapias) também anda encantada com ela e com o desenvolvimento que esta lhe mostra ter adquirido. Está a adquirir a sua independência e autonomia.

Não é por ser minha (é sim), mas está o máximo...uma reguilona esperta! Uma mini rebelde que deixa os cabelos em pé na escolinha às educadoras e auxiliares e aos papás cá em casa. Ela anda imparável.

E para terminar, devo comunicar que tenho vergonha na cara (ahahahahah) e como tal no fim da consulta, depois de entregar o meu tesouro ao seu pai, voltei para o consultório e ajudei a médica a arrumá-lo, sim a Leonor achou que estava no direito de abrir tudo o que era porta de armários do consultório e mandar tudo para fora. Era ver brinquedos a voar!

Resumindo: a minha Pipoquinha está bem de saúde e a desenvolver bem! O mais importante, e quem priva com ela diariamente pode confirmar, é que a minha Leonor é uma bebé muito feliz e que adora todas as pessoas e que tem feito conquistas todos os dias. É uma guerreira vencedora. E podem confirmar também que esta mamã aqui é muito babada.

Sejam muito felizes e amem muito!

104332044_899411270469925_5762123080085836586_n.jp

104560675_1403858536489350_1491527981624900156_n.j

104606320_548176202726952_9138167487206866567_n.jp

01
Jun20

O Desconfinamento e o Dia da Criança

Neuza

Pois é, já estamos todos a mandar os nossos suspiros e a respirar fundo porque já podemos sair com calma e fazer a nossa vida com alguma normalidade, sendo que essa é por agora adaptada ao que ainda se passa. Sim, eu já disse, mas volto a repetir: o vírus não se foi embora, ainda aí anda e continuamos a ter que nos cuidar, a pensar em nós e nos outros. Mais uma vez peço consciência e bom senso!

A Leonor já vai na terceira semana de creche. Estava em casa, sem sair, desde dia 16 de Março, e quando voltei a levá-la ao colégio, foi um mix de sensações. Já precisávamos todos de dar o rumo que tínhamos antes às nossas vidas.

Foi lindo vê-la levar com o vento na cara, foi fantástico! Ela estava tão feliz, sorria o tempo todo, ria-se para mim, gargalhava, dizia adeus e mandava beijinhos a todos os que por nós passavam, fossem humanos ou animais ahahahah.

Quando chegamos à escola, ficou a espreitar do carro, dei-lhe tempo. Assim que sorriu para mim percebi que havia reconhecido, saímos e dirigimo-nos à porta, eu com a minha máscara e a cumprirmos todas as medidas tomadas pela escola (que como também já vos confidenciei, são imensas, o que me faz sentir segura, pois fazem sentido e neste momento todo o cuidado é pouco).

Quando a quis entregar senti-a a agarrar-me com força o meu braço, não queria sair do meu colo. Não chorou, não fez birras, acabou sozinha por ceder e "entregar-se" a quem a esperava. Disse-me adeus, deu-me um grande abracinho, um beijo doce e seguiu no colinho de quem a acarinha todos os dias a mandar-me beijinhos. Saí e entrei no carro.

Aí respirei fundo, parecia o primeiro dia de escolinha dela e a minha reação (agora pensando nisso), foi exatamente igual. Cheguei a casa e chorei, chorei muito! Penso que todos os pais perceberão. Sim, eu sei que sou uma mariquinhas, mas independentemente das reações que cada um tenha, penso que a todos o coração deve ficar bem apertadinho.

Outra coisa que fiz assim que cheguei a casa, foi enviar logo mensagem à educadora que a recebeu a pedir para me ir dizendo como ela estava, se estava bem, como se comportava, foi inevitável! Só depois de enviar é que pensei que talvez não o devesse ter feito, não quero pressionar ninguém, mas já estava! E sabem que mais a Rute, a educadora que nos deu as boas vindas (tanto quando a Leonor foi para o berçário pela primeira vez, como nesta nossa nova primeira vez, agora pós-quarentena e na creche), respondeu-me prontamente, com todo o carinho que lhe conheço e até fotos, para descansar este coração de mãe, recebi. E lá estava ela toda feliz, a brincar e a conviver com os amiguinhos!

Hoje achei imensa graça quando a fui deixar. Assim que estacionei o carro e me virei para ela antes de sairmos perguntei-lhe: "Estás pronta?" e ela mostrou-me o seu enorme sorriso e disse: "Escola!", ou seja, ela estava pronta para mais uma semaninha de brincadeiras e mimos. Sempre gostou da escola, nunca me fez uma birra para ficar, aliás começa logo a mandar-me beijos e a dizer adeus e  sabem que mais? Hoje não foi diferente e estas 3 semanas mostraram-me (aliás ela mostrou-me) como gosta e de como a creche é importante para ela, fá-la mesmo feliz!

Dia 1 de Junho, Dia da Criança, hoje, dia do nosso futuro...ponho-me a pensar e nós pais temos mesmo uma responsabilidade tremenda, estamos a educar e a criar os adultos de amanhã, somos nós que temos de lhes ensinar os valores, a educação, o como se comportar em sociedade e em serem seres bons e conscientes!

É também o dia em que as crianças mais velhas - do Jardim de Infância - começam a escola, hoje as escolas vão ficar mais preenchidas, vão ganhar mais vida, vão tornar-se mais alegres e completas, mas é também, devido aos tempos vividos, que terão de ter mais cuidado e com regras de contingência mais rígidas, no sentido em que pode haver alguma confusão nas entregas dos meninos e alguns pais não entenderem o porquê de algumas medidas. Regras são regras e são para cumprir, ainda para mais quando falamos nos nossos tesouros, nas pessoas mais importantes das nossas vidas onde andam também as pessoas mais importantes das vidas dos outros. Portanto, compreenderão que são males/bens necessários e que se todos nos portarmos "bem", aos poucos e poucos irá ser possível voltar a uma normalidade que todos queremos.

Muito obrigada às crianças que tornam os nossos dias mais felizes e preenchidos com tanto amor e a todos os educadores e auxiliares das escolas por lutarem connosco, juntamente com eles! Por se dedicarem às nossas crianças, correndo riscos (porque correm), deixando os seus próprios filhos!

OBRIGADAAAAAAA

83686677_676219399839042_5052002393416269824_n.jpg

101571720_699219653953675_8536025373681385472_n.jp

08
Mai20

Nem Tudo é Mau! O Nosso Dia-a-dia

Neuza

Estes dias em casa ajudaram-me a perceber várias coisas e a conseguir fazer outras que há muito eu não conseguia. O tempo faltava!

Óbvio que não estou feliz de ter estado/de estar em casa sem sair a não ser para os passeios higiénicos que nos eram permitidos, mas digo-vos que não gostei pelo simples facto de saber o porquê de termos que o fazer e porque me considero uma pessoa ativa, não gosto de estar parada, adoro trabalhar, amo passear e estar com quem amo e conviver é mesmo a minha praia; porque na realidade este tempo de reflexão trouxe-me coisas muito boas.

Primeiro que tudo senti e sinto imensa falta da minha família e dos meus amigos. Do toque, dos beijos e dos abraços. Sempre fui muito mimocas, sempre gostei muito de dar e receber carinho e agora ainda mais importância dou a tudo isto. Para não falar do que uma palavra que se diz e que se ouve pode fazer: Milagres! Quero muito voltar a estar com todos os que amo e aproveitar o tempo.

Consegui estar em família (os 3 juntinhos) sem ser apenas aos domingos. Pus-me a pensar e desde abril de 2019 que não estávamos os 3 tanto tempo juntos a não ser aos domingos. É verdade! No ano passado, eu e o João não conseguimos sequer tirar férias nos mesmos períodos. Estivemos apenas uma semana em Outubro só nós, mas nessa altura a Leonor tinha escolinha, por isso não estivemos em família e agora, à conta desta pandemia conseguimos voltar a encontrar-nos por mais de 1 ou 2 dias.

Consegui voltar a fazer exercício. Nem me perguntem há quanto tempo eu não fazia porque nem eu vos sei dizer...imenso tempo mesmo! As minhas folgas eram passadas em terapias com a Leonor e portanto não tinha tempo para mim, para me exercitar, tratar de mim e ao domingo só queria estar com eles os 2 e poder descansar um pouco da semana de trabalho, não pensava sequer nisso!

Voltei a passar creme no corpo...é verdade com a correria dos meus dias e a sensação do escassear das horas, para me despachar nem isso eu fazia...tinha o meu tempinho todo contado!

O voltar a maquilhar-me! Adoro maquilhar-me, arranjar-me e digo-vos que nestes dias não andei sequer de pijama em casa. Vesti-me como se fosse sair, penteie-me (fiz os penteados que me apeteceu), maquilhei-me tal como gosto e apenas para ficar em casa. Mas levantava-me logo o astral, sentia-me bonita, arranjada e isso faz-me bem, sinto-me bem! Mesmo sendo só para mim, para a minha filha e para o meu marido. Mas com o espírito renovado, os dias até passam melhor!

Apesar de partilharmos a casa vários dias, todos juntos, consegui organizar super bem o meu dia e ter 1h no dia para estar comigo mesma, ter o meu espaço, pensar nas minhas coisas, respirar e isso faz toda a diferença. Sinto-me tão mais feliz por ter esta possibilidade. É claro que tive um trabalho de total organização primeiro, para conseguir fazer tudo o que precisava, mas consegui, tinha de conseguir.

Não vos vou mentir e dizer que é tudo bonito, não não é! Quando passamos algum tempo fechados com as mesmas pessoas as coisas às vezes não correm como gostaríamos. Como todas as famílias temos os nossos dias menos bons, as nossas chatices (ou um com o outro, ou com a nossa Pipoquinha, ou até ela connosco), mas com uma conversa, um beijinho e um sorriso tudo passa e tudo se faz.

Então querem saber como consegui organizar (mais ou menos) os dias???

De manhã, após o pequeno-almoço e da Princesinha estar pronta é a minha vez de me arranjar e faço tudo o que gosto para me sentir bem; de seguida terapia com ela (aqui sinto-me fracassar, não que eu ache que ela não está a desenvolver bem, mas também não tenho, de momento, quem a consiga avaliar e me diga que efetivamente ela está bem, até porque na minha opinião ela está sempre a estagnar, talvez por estar muito tempo com ela...dou o meu melhor, mas em casa temos distrações - ou o gato, ou os outros brinquedos - e não a consigo manter focada durante muito tempo e sejamos realistas: eu não sou terapeuta, sou apenas uma mãe que tenta fazer o melhor). O próximo desafio é brincar com ela e se acham que é fácil desenganem-se: ora agora quer brincar com uma coisa, como no segundo seguinte quer a outra e por aí em diante, o que muitas vezes origina birras (neste aspeto anda numa fase que nem é bom falar, mas faz parte).

Segue-se o almoço da Pequena e depois a sestinha = momento de descanso para os pais! Neste tempo arrumamos a cozinha e eu tiro 1horinha para mim, para estar sozinha, vou apanhar sol, escrever no blog, ver séries ou TV, ler, o que for, mas sou apenas eu! Na hora seguinte (a minha filhota costuma dormir 2h de sesta) faço o que é preciso fazer em casa: limpezas, passar a ferro, colocar roupa a lavar e por aí em diante!

Quando a Leonor acorda brincamos mais um bocadinho ou fazemos as atividades que nos são enviadas pela educadora e pela auxiliar e no fim ela lancha. Enquanto ela lancha e posteriormente brinca com o papá, faço o meu exercício físico!

Brincamos e brincamos mais um pouco até à hora das banhocas. No fim do dia, enquanto um de nós dá o jantar à Macaquita, o outro faz o jantar e o almoço do dia seguinte. E finito...jantamos nós, adormecemos a baby, enquanto um arruma a cozinha o outro arruma a sala que está caótica e depois já podemos usufruir da nossa hora juntinhos para vermos o que gostamos de ver juntos, para dialogarmos, namorarmos, planearmos e sentirmo-nos felizes e realizados.

Nunca se para por aqui, apesar de tudo são dias cansativos e desgastantes, mas que assim divididos se fazem e se passam muito melhor.

E por aí como foi/é a vossa quarentena???

Haja amor, saúde e muita força, que tudo se consegue!

96120971_1362859100589882_5210656402271371264_n.jp

96369397_274222353742479_7327232915853541376_n.jpg

06
Mai20

Por Estes Dias

Neuza

Pois é, o Estado de Emergência já terminou, mas espero que todos nós tenhamos consciência que foi isso que acabou, o vírus continua cá e como podemos perceber pelas notícias que nos entram pela porta todos os dias, esse continua a matar e a infetar várias pessoas por dia!

Temos todos de ter bom senso e apesar de ser normal preocuparmo-nos com os nossos, não podemos esquecer-nos NUNCA dos outros, porque tal como nós também têm família, amigos, colegas de trabalho, pessoas que amam e de quem gostam e portanto em vez de olharmos apenas para nós, olhemos para todos! Todos queremos que isto abrande/termine o mais rapidamente possível e para isso temos de nos focar e interiorizar que é um trabalho de grupo (um trabalho que é feito de forma individual e de forma coletiva).

Portanto, tudo isto para dizer que sim, já não temos de estar confinados em casa, mas que tem de haver limites e segurança. Tem de haver consciência. Protejam-se e protejam-nos. Utilizem todos os meios que existem há disposição de todos para isso mesmo. Usem os equipamentos de proteção individual (máscara, luvas, viseira  - quem tiver e se sentir confortável), que acabam por ser uma proteção não só de nós próprios, mas de todos, para frequentarem os locais onde a probabilidade de se acumular um número maior de pessoas é grande. Aliás pessoal, é obrigatório o uso desses equipamentos.

Atenção que não basta usar e saber usar estes equipamentos, é preciso saber retirá-los de forma adequada. Se não sabem procurem quem vos consiga ajudar e esclarecer, é meio caminho andado!

Lavem várias vezes e de forma correta as mãos, basta usarem sabão e esfreguem bem, mas se as quiserem desinfetar tanto melhor.

Se levarem os vossos patudos à rua, não se esqueçam de limpar as patinhas deles também e em caso de dúvida liguem para o veterinário assistente, que ele saberá indicar-vos com o que devem ou não fazê-lo e como devem fazê-lo.

Deixo aqui (óbvio que sou suspeita), o consultório veterinário onde trabalho para se quiserem entrarem em contacto e informarem-se. Garanto-vos que terão sempre alguém disposto a ajudar-vos: Veterinários do Sado.

Como sabem a minha Pipoquinha anda na creche e esta vai abrir dia 18 de Maio, claro que se por um lado fico preocupada com toda a situação atual e devido ao facto de não ter com quem a deixar, ela terá de voltar à escolinha, por outro lado sinto que vai ser bom e tenho toda a confiança nos profissionais que lá trabalham. Então depois do mail que recebi com todas as medidas de contingência que vão adotar, acreditem que fiquei mesmo descansada, por isso imaginem.

Sei que alguns pais não deverão gostar de nos próximos tempos não poderem entrar na escola e terem de entregar os educandos à porta, mas é aqui que não podemos pensar só em nós e temos de pensar nos outros também. Temos de pensar que é para um bem comum, principalmente dos nossos filhos. São várias as medidas, não vou descrevê-las aqui, não faz sentido, mas ao lê-las percebi claramente que estão a querer resguardar-se (funcionários e crianças) ao máximo e isso é que é importante! Vamos tentar, até porque não há certezas com este vírus...é novo, não há ainda estudos suficientes sobre ele, mas vamos aos poucos dar uma nova normalidade às nossas vidas. Não podemos ficar infinitamente fechados em casa. O país precisa de nós!

Confiemos em nós, confiemos em vós, porque juntos somos mais fortes e vamos vencer!

Um por todos e todos por um.

Vamos todos ficar bem =)

96550515_557574638500298_8851095090660114432_n.jpg

18
Abr20

Estes Dias!

Neuza

Apesar da quarentena, como já partilhei convosco, continuo a trabalhar e quando não estou passo o dia inteirinho a cheirar a minha Pipoca e estando sozinha com ela não vos consigo escrever tanto como gostava.

Espero que se encontrem todos bem, por aqui estamos bem e a aguentarmo-nos da melhor forma possível.

No dia 29 de Março, a Leonor fez 20 meses e, desde então, tenho notado uma grande evolução na minha Princesinha, tanto a nível motor, como cognitivo e até a nível da fala. Têm sido dias recheados de surpresas muito boas e muito felizes. E, mais feliz fico porque como temos sido nós os terapeutas da Pequenita nestes dias, sentimos que nos estamos a sair bem, que não lhe estamos a falhar e que efetivamente a estamos a ajudar.

Com estes dias, consegui começar a fazer exercício em casa, algo que numa altura "normal", não me é possível e tenho estado super feliz com isso, tenho de tentar arranjar mais horas nos meus dias quando tudo isto passar. Também tenho passado imenso tempo na cozinha, o que não me agrada muito, porque quem me conhece sabe que não sou nada fã de cozinhar! Mas mais tempo em casa, tem destas coisas, somos mais a comer e mais vezes!

Este post é escrito com um propósito que não é só fazer-vos saber que estamos bem e felizes, mas para agradecer e a quem? 

- Médicos, Enfermeiros, Técnicos Superiores de Diagnóstico e Terapêutica, Técnicos auxiliares, operacionais e administrativos da área da Saúde;

- Médicos Veterinários, Enfermeiros Veterinários, Técnicos Superiores de Diagnóstico e Terapêutica que trabalham na área da veterinária e Auxiliares de Veterinária, porque os nossos patudinhos também não escolhem quando ficam doentes e estes profissionais continuam lá, a contactar com variadas pessoas, para ajudarem os nossos amiguinhos;

- A Todos aqueles que todos os dias deixam as suas casas e as suas famílias para ir trabalhar e fazer com que nada falte nas nossas casas, refiro-me a todos os bens básicos e essenciais que necessitamos para vivermos de forma digna e o mais confortável possível;

- A todos os Voluntários, que todos os dias dão tudo de si para fazer chegar aos mais necessitados e aos grupos de maior risco, todos os bens que estes precisam para sobreviverem;

- A todos os que continuam a lutar pelos seus negócios e pelos seus empregados e respetivos empregos e que adaptaram os seus negócios a esta fase. Aos que não conseguiram "vencer", mas que lutaram até ao fim pelos seus.

Acho que não me esqueci de ninguém, ou talvez sim, mas não é por mal...somos tantos a lutar que não quero esquecer-me de ninguém!

Quero deixar um grande beijinho e um forte abraço nos corações daqueles que estão doentes e a lutar pela sua saúde, aos que são cumpridores das medidas que nos foram impostas, aos que não estão doentes, mas que têm pessoas que amam doentes e um muito, muito grande a todos os que infelizmente perderam alguém que amam para este vírus! Que consigam acalmar e aconchegar os vossos corações: Lamento muito e espero que tenham muita força para continuarem a lutar!

Mais uma vez Portugal mostra o que solidariedade quer dizer!

Acho que podemos dizer que a frase: "Um por todos e todos por um!", não podia ser melhor aplicada nesta fase que vivemos.

Acreditemos que "Vamos todos ficar bem!", e para isso, por favor fiquem em casa, protejam-se a vocês e aos vossos e consequentemente a todos nós.

Um gigante obrigada a todos e obrigada também a todos os que nos têm presenteado com tanto apoio e carinho desde o início desta aventura: o blog.

93881746_893993414380802_2687502380185944064_n.jpg

93983228_746348642566092_1068399571878543360_n.jpg

94102162_227006548521822_31747328805175296_n.jpg

04
Abr20

Esta Quarentena!

Neuza

Este tempo que atravessamos não tem sido fácil para ninguém...a não ser para aqueles que podem ficar em casa, mas teimam em ir passear e meter-nos a todos em risco!

Começa a ser bastante difícil, manter os miúdos em casa, a energia começa a acumular e têm necessidade de extravasar e nós parece que deixamos de ter mão neles, mas não os podemos culpar!

Temos de perceber que a vida deles, como eles a conheciam, foi totalmente alterada. Perderam as suas rotinas, os seus horários e se não é fácil para nós imaginem para eles que são pequenos e não percebem. No meu caso não vale a pena tentar explicar o que se passa, porque ela é pequenina e ainda não compreende.

Mas há alguns sites com variadas atividades disponíveis de forma gratuita para os podermos entreter. E portanto há que aproveitar.

Como sabem, não deixei de trabalhar, na minha área não é possível, nem seria justo se o tivéssemos que fazer, mas estamos a trabalhar por equipas e portanto vamos umas num dia e as outras no outro e descobri que organizando bem o meu dia consigo fazer imensas coisas: sozinha, com a Leonor (como mãe e como "terapeuta"), com o marido e ainda tarefas de casa. É preciso força de vontade, disciplina, paciência e muito muito amor! Não conseguimos fazer todas as tarefas domésticas num só dia (eu pelo menos não consigo), mas é possível ir fazendo.

Implica ter de me levantar às 8h (quando me podia levantar mais tarde) e deitar pelas 0h (mais ou menos), mas é possível!

Se o conseguirei fazer todos os dias não sei, poderei ter de alterar horários, mas o que sei é que vou tentar! No entanto, também não serei rígida, ou seja, se algum dia me apetecer descansar e ficar a dormir mais um pouco, assim o farei (porque o corpo e a cabeça também precisam).

Mais uma vez peço, por favor fiquem em casa! Fiquem hoje para amanhã podermos todos ir passear, abraçarmos os nossos entes e amigos queridos e podermos deixar os nossos filhos explorar e conhecer o mundo que os rodeia.

A todos os que se encontram na linha da frente desejo-vos: muita força, coragem e ânimo! Continuem a lutar por todos nós.

Um beijinho no coração de todos <3

92023996_149978666406263_3440520480589611008_n.jpg

92317272_544334736467078_5976596508785508352_n.jpg

92331207_152423572776910_7294201095474118656_n.jpg

92355885_656798278441099_7603805007007186944_n.jpg

92443775_568415400463584_4068337170463588352_n.jpg

25
Mar20

Dia Internacional da Síndrome de Down

Neuza

No passado dia 21 de Março, foi celebrado o Dia Internacional da Síndrome de Down, o dia é este pois estamos a falar no mês 3 (trissomia) e o dia é o 21 (porque falamos na trissomia do cromossoma 21 - Trissomia 21), então foi, por estes motivos, o dia escolhido.

No ano passado escrevi sobre este dia. Este ano, falei brevemente sobres este mesmo dia nas redes sociais, mas não me voltei a repetir aqui para vocês! E porquê? Porque este blog, é nosso, meu e dos que me seguem. Somos pouquinhos, mas bons e portanto, este post é vosso. E o que é que eu quero dizer com isto?

Quero dizer, que este post são vocês que o vão escrever. Vão ser vocês a contar a "história", se assim o desejarem.

Digam o que querem dizer, o que vos vai na alma, sobre aquilo que quiserem.

Eu, só vos quero dizer 2 coisas:

1º Obrigada de coração por continuarem connosco e nos demonstrarem tanto amor;

2º Vamos todos ficar bem. Quem pode, por favor, fique em casa.

Beijinhos no vosso coração.

90987168_582432905698491_7636476707263741952_n.jpg

23
Mar20

Os Últimos Tempos

Neuza

Os últimos tempos não têm sido fáceis para ninguém, esta pandemia está a colocar-nos à prova!

A Leonor também está a sentir esta alteração na sua rotina e começa a demonstrar muita energia acumulada, mas o João tem imenso receio até de ir dar a voltinha higiénica com ela e por isso estamos a evitar ao máximo que ele saia com ela.

Sim, disse o João. É ele quem está em casa de quarentena com ela. Eu continuo a deslocar-me para ir trabalhar (confesso que por um lado me sabe bem sentir-me ativa, mas por outro estou sempre de coração nas mãos e focada na higiene e desinfeção pessoal e dos espaços). Como faço parte dos profissionais de saúde (ainda que na área da veterinária e os patudinhos não escolhem quando ficam doentes, há animais em tratamentos, há medicações e alimentações que precisam ser dispensadas aqueles que têm determinadas patologias e acabamos também por estar a falar em saúde pública, quando falamos em profilaxias), tenho ido trabalhar. Claro, que foram tomadas medidas de contingência e foram criadas algumas regras para o atendimento dos tutores e dos seus animais, sempre a pensar na nossa segurança, nas dos peludinhos e seus tutores, bem como em quem nós temos em casa, principalmente!

Se não me assusta? Muito, também tive de mudar hábitos à entrada em casa e mais por saber que a minha Pipoquinha faz parte do grupo de risco, devido à sua hipotonia, que afeta também todos os músculos que necessitamos para respirar (diafragma e músculos intercostais) e pelo facto de ainda há pouco tempo ter estado tanto tempo internada devia a uma bronquíolite e a uma bronco-pneumonia. E como me assusta, todos os cuidados são redobrados. Estou a tentar dar o meu melhor. Não quero falhar com ninguém.

Para já estamos a aguentar-nos assim, mas o João é militar e não sabemos até quando conseguiremos que ele fique em casa com ela, pois é possível (esperemos não chegar a esse ponto) que os militares tenham que se chegar à frente e que tenham mesmo de estar em campo (leia-se ajudar os profissionais de saúde nos Hospitais), mas se há coisa que aprendi com o nascimento da Leonor é que temos de pensar num dia de cada vez e dar um passo de cada vez e se tivermos de recuar um passo, para depois avançarmos com 2 ou 3 tudo bem, não tem mal.

Neste momento, a Leonor não está a ter os estímulos que precisaria, a escolinha fechou, o centro de terapia fechou, a intervenção precoce deixou de acompanhar presencialmente e como tal o acompanhamento que está a receber é apenas aquele que lhe podemos proporcionar (mesmo que com as diretrizes das terapeutas) em casa e não, não tem sido fácil, primeiro porque damos o nosso melhor, mas não somos terapeutas e não temos os conhecimentos que elas têm, depois porque ela está cheia de energia e mantê-la sossegada e focada tem sido uma missão quase impossível, ainda assim vamos tentando e dando o nosso melhor. Nos últimos tempos de terapia, antes de tudo isto, ela já não se concentrava connosco presentes na sala e começamos a deixá-la sozinha com a terapeuta e estava a correr super bem assim, agora não temos outra hipótese.

A nossa Filhota está também numa fase de birras, fá-las para tudo, porque sim e porque não, por ciúmes se me vê com o gato ou com o pai, se pego em algo que se lembrou que também quer, mas estamos a trabalhar nisso! E só me quer a mim, o que percebo perfeitamente, visto que sou a que está menos tempo com ela, mas condiciona-me no que tenho para fazer em casa. No entanto, sabem que mais? Não me importo, tudo se faz.

E não posso deixar de falar no meu Baluzinho, que é um pouco "maltratado" pela minha Macaquinha e que tem sido um pouco negligenciado. Tentamos ao máximo compensar quando ela dorme, mas sabemos, infelizmente, que ele merecia e precisava de mais atenção. E é isto que é admirável nos nossos patudinhos, é que por muito pouco que recebam, são felizes e demonstram-nos todos os dias que nos amam e que nos são fiéis independentemente de tudo. Obrigada meu gato lindo e fofo por continuares a insistir connosco para que sejamos também leais a ti, que bem mereces.

Algo que tem sido espetacular é que a escolinha fechou, mas os pequenitos não foram esquecidos. Todos os dias tenho recebido emails com atividades para fazer com a nossa Princesinha e tem sido tão giro! Mais uma vez tenho de sublinhar como estou feliz com a escolha que fiz no estabelecimento de ensino e de todos os seus funcionários, para acompanharem a minha Pequenita.

Por isso peço-vos que quem pode, POR FAVOR, fique em casa. Protejam-se a vocês e aos vossos. É possível vencermos sim, mas temos de remar todos no mesmo sentido.

Um grande beijinho de força para todos. Que o amor prevaleça sempre!

90514316_851473331983382_1255274926072397824_n.jpg

90559656_652879438801552_7123223734525100032_n.jpg

90617823_933968047054301_8718239537307844608_n.jpg

11
Mar20

"Posses"

Neuza

Há uns dias coloquei nas redes sociais uns vídeos que fiz com algo que me incomodou/incomoda bastante, confesso! O facto de existirem pessoas que dizem: "Ainda bem que estas crianças especiais nascem em famílias com posses e que lhe podem proporcionar o que precisam!"

O QUE É ISTO????

Primeiro e vou tentar reproduzir um pouco daquilo que fui dizendo nos vídeos que fiz, na minha opinião todas as crianças são especiais, pelo menos a meu ver para os pais todas serão especiais, mas acreditem que não me ofende esta expressão, de todo, vivo bem com isso, só acho que as coisas devem ser chamadas pelos nomes.

Segundo, acharem que isso é verdade, e não querendo de todo ofender ninguém, é ridículo! Não corresponde de todo à verdade. No caso, por exemplo, da Leonor e da trissomia 21, esta é uma alteração genética que acontece aquando da formação do bebé (falando sem termos científicos corretos). Como é óbvio, o espermatozoide quando está a fecundar o óvulo não pensa (atenção que ele não pensa de todo, mas vou brincar aqui um bocadinho): "Ai espera lá que esta família tem posses e por isso posso dividir-me de forma menos correta porque se acontecer aqui uma trissomia, está tudo ok, que esta família pode!"

Não é real, simplesmente acontece. Eu não tenho posses, tenho a minha educação e os meus valores que me foram passados pelos meus paizinhos e pelos meus avós e que pretendo passar para a Leonor e sim, estes são o maior tesouro que lhe posso dar. Ensiná-la a viver em sociedade, de forma cívica e respeitosa para com o próximo...ensiná-la a agir e a fazer o bem! Mas felizmente, ou infelizmente, não tenho mais posses para lhe deixar.

Confesso que quando a Leonor nasceu e quando fizemos a descoberta da trissomia dela, não sabíamos o que nos estava destinado e digo mais, não estávamos preparados financeiramente para um filho com necessidades educativas especiais, nem com alguns dos sustos que nos foram colocados no caminho (a história do capacete que aqui partilhei foi uma delas, por exemplo).

Não que eu tenha de dar justificações da minha/nossa vida porque não tenho, mas partilho aqui que se não fossem os nossos pais e avós a ajudarem-nos não conseguíamos ajudar a Leonor com tudo o que lhe conseguimos proporcionar neste momento e somos muito agradecidos à nossa família por isso, por todo este suporte e amor!

Mas, uma coisa vos digo, se há algo que possuímos, e no qual somos ricos, diria até milionários, é na força e no amor que temos e sentimos pelo nosso maior tesouro: a nossa filha! O nosso maior orgulho, aquela que nos conquista a cada segundo e que tem aqueles olhos e aquele olhar onde cabe o Mundo. Se sou rica? Então não sou: em sonhos, em valores importantes, em sentimentos bonitos e grandiosos e isso sim, espero que a minha filha herde.

Porque amor e comida na mesa nunca lhe vão faltar e a saúde (o mais importante), naquilo que depender de nós também não.

Por isso minha filhota mais boa da mãe, sê sempre uma menina rica com aquilo que te oferecemos.

Obrigada a toda a nossa família, que são incansáveis! E não posso terminar sem dizer que também devemos muito a amigos nossos e aos seus pais, que para nós também são família, pelo simples facto de tratarem a nossa Macaquinha como família, por nos ajudarem na sua educação e por ficaem com ela sempre que não nos é possível por termos de trabalhar.

Obrigada a todos de coração. E agora digam-me vocês: sou ou não sou rica? Eu acho que sim <3

20180629_093826.jpg

11
Mar20

8 de Março

Neuza

Este dia é sempre especial para mim e não, não é por ser o chamado Dia da Mulher, mas porque uma das Mulheres mais importantes para mim celebra o seu aniversário. Pois é, a minha avózinha fez 77 Primaveras neste ano de 2020.

Esta grande Mulher é um exemplo para mim. Foi quem ficou comigo e com a minha irmã até aos 3 anos, altura em que fomos para a escolinha, foi quem ajudou a educar-me e a passar-me os valores mais nobres, foi quem (juntamente com os meus pais) me ofereceu o meu primeiro carro, foi quem me ajudou a mobilar a minha casa, foi quem me apoiou nos primeiros 15 dias da maior aventura que vivi na minha vida até hoje - a Maternidade e a descoberta/confirmação da Síndrome de Down da Leonor e é quem muito nos tem ajudado com tantas coisas que a Leonor precisa e que provavelmente sozinhos não conseguiríamos proporcionar-lhe.

Nunca terei palavras para lhe agradecer tudo o que tem feito por nós e todo o amor que nos dedica. Para não falar que tem uma paixão louca pela bisneta. Dou por mim e vê-las juntas e a emocionar-me. Foi ela quem veio da sua casinha, deixou o meu avô em casa, para me vir ajudar quando a Leonor esteve internada. Ficava com a Pipoquinha durante o dia para eu ir trabalhar e eu rendia-a à noite e no dia seguinte de manhã lá vinha ela ficar com a minha Princesinha e ainda trazia o meu almocinho feito por ela e vocês sabem, certo? Comidinha da avó é só a melhor do Mundo.

Tudo isto pode ser resumido por uma simples frase: AMO-TE MINHA AVÓ QUERIDA!

És-me muito.

Agora olho para a minha mini mulherzinha, que já acha que manda, que tem o Mundo aos seus pés, naquele sorriso incrível, naqueles olhos felizes e sei que é assim também devido a todo o amor que recebe, não só de nós pais, mas dos avós, bisavós e de toda a família e amigos.

A Nonô é pequenita, mas promete, é Mulher e vai Conquistar o Mundo!

20180811_162122.jpg

20180813_192126.jpg

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D