Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Leonor e o Cromossoma do Amor

Este blog serve para vos falar um pouco da nossa vida enquanto pais de uma menina muito especial, pois tem o cromossoma do amor e na realidade foi isso mesmo que ela trouxe à nossa vida: muito amor!

Este blog serve para vos falar um pouco da nossa vida enquanto pais de uma menina muito especial, pois tem o cromossoma do amor e na realidade foi isso mesmo que ela trouxe à nossa vida: muito amor!

Leonor e o Cromossoma do Amor

09
Jan19

A Surpresa

Neuza

A nossa vida a dois sempre correu super bem.

O João sempre me ajudou imenso nas tarefas de casa, somos mesmo parceiros.

É incrível como desde que partilhamos casa, notamos que apenas com um simples olhar, conseguimos saber exatamente o que o outro está a pensar.

Em Abril de 2015 (não sei precisar a data, mas sei que foi num dia de trabalho), o João foi deixar-me ao meu local de trabalho. Ele nunca foi um cavalheiro, nem sequer liga ao simples facto (por exemplo) de deixar uma senhora passar à sua frente como quando entramos em casa, é que nem a porta segura. Nesse dia estranhei o facto de me ter vindo abrir a porta do carro.

Só conseguia pensar que ele devia ter feito algo que me pudesse magoar, ele estava sério e para piorar a minha taquicardia que já se fazia sentir, eis que se ajoelha. Com isto tudo, ainda assim, a única coisa que me passa pela cabeça é que aquilo que fez foi sério e eu não estava preparada para uma situação grave antes de entrar ao trabalho.

É de referir também que o João não é de todo um homem romântico, e como tal ver toda aquela situação preocupou-me bastante. Que teria feito ele?

Com isto estica-me a mão e entrega-me um saco pequenino, para o qual confesso que nem olhei. Não conseguia tirar os olhos dele.

Pediu-me para o abrir e eu em modo automático e completamente submissa ao que ele me estava a pedir assim o fiz, mas mais uma vez nem reparei no saco (se o tivesse feito, penso que teria percebido na hora o que estava prestes a acontecer).

Lá dentro encontrei uma caixinha e percebi que era de uma ourivesaria. Abri e lá dentro um anel super simples (tal como eu gosto) e com uma pedra linda. Assim que pego nele e o tiro da caixa, a única frase que me saiu foi: "Mas o que é isto?". Pensei que ele ainda podia estar a brincar comigo, porque como já referi ele nunca mostrou interesse em casar, aliás ele dizia mesmo que não queria, que não fazia parte dos seus planos.

Nesse instante, o João pegou na minha mão e de joelhos (como já se encontrava, não se tinha movido desde então) no meio do parque de estacionamento do meu local de trabalho ele diz: "Queres casar comigo?"

Antes de qualquer resposta minha, penso que a minha cara devia estar com uma expressão impagável e quando consigo falar o que é que me saiu? Não, não foi um sim, nem foi um não. Só consegui perguntar se era a sério e se ele tinha a certeza do que estava a pedir e do que estava a fazer? A resposta não podia ser mais rápida: "Sim, tenho...Queres?"

Claro que respondi que sim, comecei a tremer com a adrenalina, encontrei um sorriso de orelha a orelha na minha cara, é que mesmo que quisesse não conseguia disfarçar. Lembro-me que liguei logo para a minha mãe a contar a novidade e que lhe perguntava de 2 em 2 minutos: "E agora?" E ela respondeu-me: "Então agora vamos preparar tudo e prepara-te que vais ter muito trabalhinho".

Na altura nem quis saber muito bem o que ela queria dizer com isso de ir ter muito trabalhinho, estava demasiado feliz para pensar nisso, mas logo logo ia descobrir do que ela falava.

13254115_1197476646943802_9205625151804718648_n.jp

18033271_1490737670970675_1656730780865677248_n.jp

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D