Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Leonor e o Cromossoma do Amor

Este blog serve para vos falar um pouco da nossa vida enquanto pais de uma menina muito especial, pois tem o cromossoma do amor e na realidade foi isso mesmo que ela trouxe à nossa vida: muito amor!

Este blog serve para vos falar um pouco da nossa vida enquanto pais de uma menina muito especial, pois tem o cromossoma do amor e na realidade foi isso mesmo que ela trouxe à nossa vida: muito amor!

Leonor e o Cromossoma do Amor

18
Nov19

Esta Impotência

Neuza

Já tinha referido que desde que fui mãe, sinto que estou mais sensível, penso que utilizei mesmo a palavra mariquinhas e mantém-se. No entanto, há algo que a maternidade também me trouxe e com a qual não me sinto confortável: a impotência que vai neste coração de mãe!

Quem é mãe, com toda a certeza que irá entender este sentimento.

Tudo isto porque a minha Pipoquinha está doentinha, anda com febres, mas sem um padrão regular, ou seja, torna-se difícil perceber de onde vem ou o que causa esta febre, pois ora hoje tem, ora amanhã não e depois volta a ter no dia seguinte. É uma febre muito confusa e que não nos deixa perceber o que se passa.

Andámos a aguentá-la sem a levar ao médico o mais que pudemos, ou melhor o que achámos ser aceitável, mas hoje teve de ser. Não gosto de a levar, porque este coração (mariquinhas) de mãe acha sempre que ela ainda vai ficar pior porque vai apanhar qualquer coisa por lá, eu sei eu sei, sou do pior, mas sou mãe e de primeira viagem, menos experiente, o que me parece que nos torna mais preocupadas e com uma imaginação sem igual, de tão fértil e poderosa que é.

Custa-me horrores olhar para a minha Princesinha e ver que ela não está bem e sinto-me impotente porque não a consigo ajudar mais em casa. Com este coração super apertado e preocupado, decidimos que estava na hora de a levar para ser vista e conclusões??? Nenhumas, para variar.

É algo que não consigo entender, bem sei que nem sempre se consegue ser concreto nestes assuntos da saúde e das patologias, sei que há muitas patologias que mimetizam ser outras e por vezes é complicado perceber o que se passa, mas sempre - SEMPRE - que levei a minha bebécas ao médico (neste caso às urgências) nunca tenho uma resposta. Ou é porque é um vírus de escola (o que quer que isso seja. Alguém me sabe dizer o que é o vírus de escola???), deve ser por isso que há quem diga que os infantários se deviam chamar infetários, ou então como a febre não aparece sempre deve ser porque ela tem expectoração...deve ser!

Ou seja, até consigo perceber que sim, aceito que seja por isso sim, até faz sentido, ela fica entupida e o seu sistema imunitário tenta reverter/combater o que não está bem e daí vem a febre, mas e o que fazemos para ajudar um bebé a conseguir libertar esta expetoração??? Nada, os papás que continuem a fazer o que estão a fazer.

De sublinhar que há um mês estivemos com ela nas urgências com a mesma situação e também não houve qualquer tipo de medicação para casa e desde então que ela tem estado com todas estas secreções.

Sinto-me impotente, não a estou a conseguir ajudar, mas o que é que eu posso fazer mais em casa?

Trocava bem e sem pensar, de lugar com ela. Dói de a ver esforçar-se tanto para conseguir respirar convenientemente.

Nós já fazemos lavagens, já aspiramos, já damos gotas para tentar secar estas "ranhocas", já damos xarope para a tosse para que ela consiga libertar toda a expectoração e andamos nisto há 1 mês e nada. Lá melhora durante uns tempos e depois voltamos ao mesmo.

Uma coisa não podemos negar, esta minha filhota aguenta-se bem, ali firme e não se queixa coitadinha!

Continua a comer como um pequeno animal (assim daqueles de grande porte, estão a ver?) e sempre bem-disposta e sorridente.

Olho para a minha pequenita e penso: "Ela é que está doentinha e eu é que pareço toda apagada!". Mas sei que é porque quero lutar mais para a ver bem e sinto que estou a falhar. Conscientemente, sei que também não posso fazer mais, no entanto, esta bipolaridade materna é bastante lixada e este cérebro faz um nó...às vezes!

Desculpem o desabafo desta mãe! Mas quem nunca amou assim e se sentiu assim perante um filho, que atire a primeira crítica.

Por aqui vamos dar muito mimo (sim, mais, porque esta mãe pirosinha acredita que colinho nunca é demais) e sejamos sinceros, ela merece, e muito mesmo!

Obrigada a todos pelos telefonemas e mensagens a saber da Pipoquinha.

E uma forcinha com um pouco de sanidade mental aqui para esta mãe sim? Palavrinhas de apoio e compreensão por este estado "decadente de mãe de primeira vez" e festinhas neste coração apertado, são sempre bem vindos.

77101321_491442361460367_5487478821298896896_n (2)

2 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D